Institucional

Última atualização em:

A Companhia Brantmeesters, criada em 1636, em Recife, durante o governo batavo no Brasil, foi o primeiro serviço de extinção de incêndios das Américas.

Foi o Imperador D. Pedro II a primeira pessoa a se preocupar com o grande perigo de incêndios na Capital do Brasil Império e foi na Cidade do Rio de Janeiro, no dia 02 de julho de 1856 que Sua Majestade Imperial, através de Decreto, regulamentou, pela primeira vez, o serviço de extinção de incêndio em todo país, daí ter sido a data escolhida para a comemoração do Dia Nacional do Bombeiro e Dom Pedro II declarado oficialmente Patrono dos Corpos de Bombeiros do Brasil.

Após a criação do Corpo de Bombeiros provisório da Corte, em 02 de julho de 1856, a idéia foi espalhada a outras Províncias, tanto que, 14 anos depois, em 12 de julho de 1870, o Presidente da Província de Pernambuco, Dr. Pedro Vicente de Azevedo, sancionava a Lei nº 958, criando, na Cidade do Recife, uma Companhia de Bombeiros com efetivo de 81 homens. Porém esta Lei não entrou em execução.

Decorridos mais de 15 anos, ou seja, em 11 de agosto de 1885, ainda por aquele mesmo Presidente da Província, era sancionada a Lei nº 1.860, cujo artigo 13 autorizava a criação da Companhia de Bombeiros através de convênio com as companhias de seguro então existentes. Eram elas a Phoenix Pernambucana, Indenizadora e Amphitrite. Todavia, somente dois anos depois, em 23 de setembro de 1887, o Governo Provincial nomeava o Capitão Joaquim José de Aguiar, Comandante da Companhia de Bombeiros do Recife, tendo tomado posse em 20 de outubro do mesmo ano, ocasião em que foi expedida a primeira “Ordem do Dia” como Comandante, ficando então esta data designada como a data comemorativa de aniversário do Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco.

A busca constante por dias melhores encontrou o apoio do Governo e da sociedade civil e demais autoridades que entenderam que a emancipação do Corpo de Bombeiros era, não só uma realidade, mas uma necessidade nacional que outros Estados da Federação já haviam conquistado.

Não demorou muito para que a Emenda Constitucional nº 04 à Constituição Estadual de 1989, de autoria e iniciativa do Governador do Estado, obtivesse aprovação por unanimidade na Assembléia Legislativa e retornasse para a sanção do próprio Chefe do Poder Executivo, que emancipou o Corpo de Bombeiros da PMPE no dia 22 de julho de 1994, culminando com a Lei 11.199, de 30 de janeiro de 1995, que criou a estrutura da Corporação.

Atualmente, fazendo parte da Secretaria de Defesa Social como órgão operativo, foi aprovada a Lei n° 15.187, de 12 de dezembro de 2013 (Nova lei de organização básica do CBMPE) e encontra-se em tramitação na Secretaria de Administração do Estado projeto de ampliação da área de atuação no Estado, de 8,65% para 20%, criando e ativando unidades de bombeiros principalmente no Agreste e Sertão, buscando a eficácia na prestação de serviços à população pernambucana.

NEGÓCIO

Vida alheia e riquezas salvar.

MISSÃO

Promover a preservação da vida, do patrimônio e do meio ambiente, através das ações de prevenção e extinção de incêndios, resgate, busca e salvamento e atendimento pré-hospitalar no Estado de Pernambuco, visando o bem-estar social (Lei de Organização Básica do CBMPE).

VISÃO

Ser reconhecido como referência nacional, até o ano de 2022, pela excelência na prestação de serviços de prevenção e extinção de incêndios, resgate, busca e salvamento, atendimento pré-hospitalar e ações de defesa civil à sociedade pernambucana.

VALORES

  • Solidariedade

Responsabilidade mútua, reciprocidade de interesses e obrigações profissionais.

  • Disciplina

Estrita observância e cumprimento de preceitos ou normas regulamentares.

  • Coragem

Firmeza de espírito, energia moral diante do perigo, valentia, perseverança, bravura.

  • Criatividade

Aptidão para formular idéias inovadoras, originalidade, engenho.

  • Valorização da vida

Responsabilidade com a preservação da vida das pessoas e dos profissionais.

  • Companheirismo

Convivência, solidariedade, camaradagem.

  • Compromisso

Comprometimento com a atividade profissional.

  • Hierarquia

É a ordenação de autoridade em níveis diferentes, consubstanciado no espírito de acatamento e cumprimento das ordens dos escalões superiores.

  • Ética profissional

Conjunto de princípios que formam a consciência profissional do bombeiro-militar e representa imperativos de sua conduta.